A infância de um filho traz muitos aprendizados aos pais de primeira viagem. É comum que os pais se preocupem quando a criança mostra sinais de uma possível doença.

Além de gripes e resfriados, presentes tanto na infância quanto na vida adulta, algumas outras enfermidades são típicas dos primeiros anos de vida da criança.

Catapora

A catapora é causada pelo vírus da herpes e, geralmente, se caracteriza por febre e pequenas manchas e bolhas vermelhas na pele. Ela é uma doença autoimune, ou seja, depois de contraído o vírus uma vez, ele permanecerá no organismo e causará a imunidade.

O contágio se dá pelo contato com outra criança portadora do vírus. A catapora é contagiosa nos primeiros seis ou sete dias depois que aparecem as primeiras bolhas, enquanto elas ainda não estão cicatrizadas.

Caxumba

A caxumba é transmitida pela respiração e causa a inflamação das glândulas salivares parótidas, responsáveis pela produção de saliva. Os sintomas envolvem dor e inchaço na região abaixo da mandíbula inferior, promovendo dificuldade em engolir, mal-estar, rigidez na nuca, náuseas e dor de cabeça.

Essa doença não possui um tratamento específico. É preciso aguardar que o vírus se manifeste e o quadro melhore. Apesar de ser uma das doenças comuns na infância, ela pode acometer adultos. Entre homens adultos, a caxumba pode causar orquite, que é inflamação dos testículos.

Sarampo

O sarampo também é uma doença causada por vírus e é contagiosa, causando infecção no sistema respiratório. A transmissão ocorre por meio de gotículas expelidas por tosse ou espirro de pacientes infectados.

Entre os sintomas, se destacam tosse, conjuntivite, febre e manchas avermelhadas pelo corpo. Para tratar a doença, medicamentos para febre e muito repouso são aconselhados.

Prevenção é o melhor remédio

A melhor maneira de prevenir as crianças das doenças comuns na infância é ficar atento ao calendário de vacinação. A vacina tetraviral combate todas essas doenças e a rubéola. Apesar de muito comuns, os vírus estão cada vez menos ativos, graças às inúmeras campanhas de conscientização.

Procure o posto de saúde mais próximo para saber mais sobre as doenças. Apenas um médico especialista poderá dar o diagnóstico exato do vírus e o melhor tratamento durante a contaminação.

Ajustar fonte

AVISO

Tendo em vista o encerramento do contrato, o Hospital Estadual de Pirenópolis não é mais gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar - IBGH.

As informações constantes neste site referem-se ao período em que a gestão da unidade de saúde estava sob responsabilidade do instituto e estão sendo mantidas em cumprimento às leis de transparência vigentes.