O Calendário da Vacinação é uma grande preocupação para a maioria das famílias. Manter as vacinas das crianças em dia é muito importante, mas a vacinação dos adultos acaba ficando de lado.

No final do ano passado, o Ministério da Saúde (MS) divulgou que todas as vacinas recomendadas para pessoas de 20 a 59 anos estão abaixo do ideal. No último surto de febre amarela no País, a maioria das pessoas não sabiam sequer se já havia tomado a vacina ou não. Independentemente da idade, a cobertura vacinal é essencial e precisa ser levada a sério.

O que acontece se eu não me vacinar?

Um adulto com a vacinação atrasada corre riscos de desenvolver formas mais agressivas das doenças. O sarampo e a catapora são exemplos de enfermidades que, sem a vacinação correta, podem ter sintomas mais intensos e difíceis de serem tratados.

Além disso, engana-se quem pensa que tomar vacina é apenas para a própria imunização. No caso da coqueluche, doença infecciosa aguda, ela atinge principalmente bebês, mas quem transmite são os adultos. Estar com a caderneta de vacinação desatualizada pode te tornar um vetor de transmissão.

Quais vacinas devo tomar?

O Ministério da Saúde recomenda hoje quatro vacinas para adultos entre 20 e 59 anos:

– Hepatite B – Três doses, de acordo com a situação vacinal
– Febre Amarela – Uma dose se nunca tiver sido vacinado
– Tríplice Viral – Se nunca vacinado, são duas doses para quem tem 20 a 29 anos e uma dose para 30 a 49 anos
– Dupla adulto (DT) – Reforço a cada 10 anos

Alguns grupos de adultos têm necessidades especiais em termos de imunização. Pessoas com asma devem se vacinar contra a pneumonia, por exemplo. Da mesma forma, no caso de diabéticos, imunodeficientes, pessoas em tratamento contra o câncer, que removeram alguma parte do corpo ou com outras disfunções, são candidatas a imunizantes específicos e é importante estar atento ao Calendário de Vacinação de 2019.

 

Vacinação em Santa Helena

Na cidade de Santa Helena, em Goiás, é possível encontrar as vacinas nas Unidades de Atendimento Básico de cada bairro. O usuário deverá comparecer à unidade que atende seu bairro munido de seu cartão de vacinação e documento de identificação.

 

Não tenho a Carteirinha de Vacinação, e agora?

 

Guardar a carteirinha de vacinação é importante, especialmente para o controle individual. Entretanto, se você perdeu a sua, é possível tomar as vacinas básicas do calendário novamente. O consenso é que ninguém deve deixar de se vacinar porque perdeu o registro, segundo o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Atualmente, é possível realizar o acompanhamento através do aplicativo Meu DigiSUS. A ferramenta permite que você tenha acesso a todo seu histórico de saúde, podendo monitorar e agendar exames e procedimentos controlados pelo Sistema de Regulação.

Ajustar fonte