O Setor de Qualidade do Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste (HURSO) realizou uma auditoria de eficácia nos departamentos de ortopedia, observação masculina e feminina e clínica médica para todos seus colaboradores. Foram analisados itens como pulseira identificadora, placas beira leito e etiquetas. O treinamento foi uma forma de avaliar a efetividade do treinamento Protocolo de Identificação do Paciente; ministrado no mês de junho.

Segundo a coordenadora da Qualidade, Taynara Guimarães, essa auditoria age como uma forma de monitoramento para apurar a realização do protocolo. Assim, é possível assegurar a identificação precisa de cada paciente em todas as assistências concedidas. “Depois dessa inspeção, é passado um relatório para a diretoria sobre como está o processo e o que pode ser mais bem desenvolvido” conta Taynara.

Após a averiguação foram distribuídos pirulitos contendo as cores usadas como identificadores de cada risco: alergia medicamentosa, cor vermelha; bronco aspiração, cor azul; lesão por pressão, cor verde; e queda, cor amarela; além da mensagem O paciente não é só um paciente, ele também é o amor de alguém. “Esses procedimentos são tomados para garantir o que é mais importante: a segurança do paciente”, explica a coordenadora.

​​​​​​​​O que é Identificação do Paciente?

A identificação do paciente é imprescindível para a segurança durante todo o processo de tratamento no hospital. É ela que garante o atendimento correto a pessoa certa, inclusive em situações em que o paciente está desacordado ou impossibilitado de responder por si.

Esse procedimento reconhece corretamente o paciente, podendo direcionar os tratamentos, medicações e cirurgias apropriadas. São utilizados três indicadores: nome completo, número do prontuário e data de nascimento.

A identificação começa a partir do momento em que o paciente se registra na recepção com a coleta de seus dados pessoais. As informações são constantemente conferidas desde sua admissão no hospital até o momento em que recebe alta.

Ajustar fonte

AVISO

Tendo em vista o encerramento do contrato, o Hospital Estadual de Pirenópolis não é mais gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar - IBGH.

As informações constantes neste site referem-se ao período em que a gestão da unidade de saúde estava sob responsabilidade do instituto e estão sendo mantidas em cumprimento às leis de transparência vigentes.