Contrariando todas as probabilidades e lógica da medicina, podemos considerar a história de Kênia Sales e do seu pequeno A.N um verdadeiro milagre. O Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste (HURSO) registrou a entrada de Kênia no dia 21 de abril de 2019 às 14:54, grávida de 36 semanas.

Dr. Antônio Lucas, clínico geral, relatou que a paciente se queixava de dor lombar baixa, além de febre e dispneia. “Eu estava com muita dificuldade para respirar e já tinha tido febre muito alta,” contou. Após exames, foi diagnosticado que a paciente tinha Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA).

A paciente apresentou piora do quadro respiratório e foi encaminhada para UTI. Após avaliação da equipe médica, foi indicada uma cesariana de urgência. Segundo Kênia, “os médicos relataram que a chance de vida para meu filho era menos de 1% e 5% para mim. Porque o bebê não estava preparado para nascer.”

Cirurgia delicada

O obstetra que acompanhava a gestação da paciente foi contatado pela equipe do HURSO e se disponibilizou em acompanhar a cirurgia juntamente com a equipe da Unidade.

A.N nasceu com 48cm e pesando 2,850kg. Mesmo estando com peso e estatura dentro do previsto, devido à prematuridade o recém-nascido foi encaminhado à UTI pediátrica do HURSO.

A enfermeira Magda Moreira comenta que “quando eu entrei no Centro Cirúrgico e vi que o bebê estava bem, fiquei muito aliviada. Ele era enorme e saudável”. A mãe foi encaminhada novamente à UTI adulto. No mesmo dia, a criança foi transferida para UTI neonatal em Goiânia.

A mãe recebeu alta médica do HURSO no dia 08 de maio, totalmente recuperada e feliz pelo atendimento recebido. Já o recém-nascido segue internado em Goiânia e segundo relato da mãe, passa bem e deverá ter alta na próxima semana.

Hospital de média complexidade

Destacamos que o HURSO é um Hospital de urgência e emergência com perfil de atendimento para pacientes de trauma, cirúrgicos e clínicos, não sendo referência para serviços e procedimentos como partos normal e cesariana.

Ajustar fonte