Em um Hospital, uniformes são indispensáveis. Pensando na segurança do paciente e na facilidade de identificação para equipes e colaboradores, o Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste (HURSO), referência em Segurança do Paciente e acreditado ONA 1, renovou todos os uniformes dos seus colaboradores.

“Os uniformes são separados por cor, cada equipe recebeu uma cor diferente para que seja mais fácil identificá-los. É muito importante para a segurança do paciente, pois bem identificados, os usuários sabem quem chamar quando precisam”, explicou Fernanda Rosa, supervisora do núcleo de segurança do paciente.

“Foram entregues quase 900 peças ao todo e ainda serão distribuídos cerca de 38 jalecos para a equipe médica. É importante que todos estejam padronizados, pois uma rápida identificação de quem é colaborador, ajuda no processo do dia a dia”, declarou Rafael Ferreira, diretor assistencial.

Importância dos uniformes

O uniforme hospitalar permite identificar os colaboradores da unidade, além de ser considerado um cartão de visitas eficaz para a imagem da Instituição como um local asseado, onde as normas de segurança são seguidas bem como os mais altos critérios de limpeza.

Outra mudança de extrema importância, é que agora a unidade tornou os uniformes das UTI’s privados. Ou seja, eles serão usados apenas dentro do setor e serão lavados adequadamente na lavanderia da Unidade. “É mais uma forma de pensarmos na segurança do paciente, levando em consideração que as pessoas internadas nas UTI’s necessitam de um cuidado mais especial”, relatou Fernanda.

Fernanda ainda contou sobre as inovações que acontecerão na Unidade, devido ao Secretário de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, ter desafiado o Hospital a conquistar a Acreditação ONA 2. “A padronização dos uniformes é só o começo. Aceitamos o desafio que nos foi feito e com isso muita coisa será mudada daqui em diante. A intenção é melhorar cada dia mais o nosso atendimento”, explicou.

“Eu gostei bastante dos novos uniformes, são bem confortáveis e nos deixam padronizados. É importante tanto para nossa segurança quanto do nosso paciente”, comentou Rosilene Vieira, técnica de enfermagem.

Ajustar fonte