A humanização no Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste (HURSO) é tratada com muita seriedade, pois é um valor importante na Unidade. Para fortalecer o trabalho da Comissão de Humanização, ela agora conta com uma nova presidente, Adriele Bessa. “Nós recebemos diariamente pessoas muito debilitadas. Então, vamos juntos desenvolver ações para que essa estadia deles aqui se tornem mais leve sem esquecer da valorização dos nossos colaboradores”, afirmou Adriele.

Adriele foi muito bem recebida pela Comissão. “Foi indicada pela dedicação às ações da humanização e pelo perfil carismático. Por votação unânime entre os membros da Comissão, Adriele foi eleita entre outros candidatos”, explicou Ronny Rezende, diretor geral da Unidade e membro da Comissão de Humanização.

“Achei a indicação dela ótima, por ser uma pessoa que tem o perfil humanizado, uma excelente colaboradora, muito carismática com todo mundo e, o principal, gosta de se envolver nas ações. Percebemos que é algo intrínseco dela”, elogiou Anne Caroline, supervisora de Recursos Humanos e membro da Comissão de Humanização

Sobre a Comissão de Humanização

Quando falamos de humanização no Hospital, quer dizer que todo o trabalho feito dentro da Unidade, é pensado de uma forma humanizada, com empatia para com a comunidade hospitalar. Sendo eles pacientes, acompanhantes ou colaboradores. Segundo a nova presidente, “é uma equipe formada por colaboradores da Unidade com um único objetivo: promover bem estar e informação para todos os usuários”.

“É muito prazeroso fazer parte dessa comissão e poder ajudar alguém, mesmo que nossas ações sejam simples diante das necessidades dos nossos usuários. Conseguimos gerar bem estar tanto para pacientes quanto para acompanhantes e colaboradores”, comentou Anne Caroline.

Para alcançar uma equipe mais harmônica, mais tolerante e mais aberta ao diálogo com os seus pacientes é preciso que eles pratiquem entre si uma comunicação humanizada e isso é uma prioridade no HURSO.

Ajustar fonte

AVISO

Tendo em vista o encerramento do contrato, o Hospital Estadual de Pirenópolis não é mais gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar - IBGH.

As informações constantes neste site referem-se ao período em que a gestão da unidade de saúde estava sob responsabilidade do instituto e estão sendo mantidas em cumprimento às leis de transparência vigentes.