O HURSO (Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste) é um Hospital de urgência e emergência referência da região sudoeste de Goiás. Por atender a demanda de 27 municípios, conta com um Centro Cirúrgico que atende, em média, mais de 200 pacientes por mês.

Em setembro, por exemplo, foram realizadas 266 cirurgias, sendo 214 eletivas e 52 de urgência. Dentre essas, 232 foram ortopédicas. Casos de urgência e emergência representam cerca de 25% do total de cirurgia.

Equipe e estrutura

A equipe conta com médicos anestesistas; cirurgiões; enfermeiros; técnicos de enfermagem; instrumentadores cirúrgicos e auxiliares de serviços gerais. O objetivo da equipe é proporcionar cuidados especializados e qualificados ao paciente; buscar a recuperação ou melhora do paciente por meio de uma intervenção cirúrgica e oferecer segurança e bem-estar ao paciente.

Trabalhar num centro cirúrgico não é uma tarefa fácil. “As cirurgias marcam a gente, as vezes tenho que engolir o choro, guardar os sentimentos no ‘bolso’ e ser profissional”, comentou Rosilene Vieira, enfermeira do Centro Cirúrgico do HURSO há quase 7 anos.

“Participei da captação de órgãos de uma menininha e chorei bastante, foi o procedimento que mais me marcou em toda minha carreira. Mas, te digo de coração, eu amo trabalhar no Centro Cirúrgico”, finalizou.

Principais procedimentos

O Centro Cirúrgico é um ambiente diferenciado dos outros setores da instituição hospitalar. A sala cirúrgica contempla excelência e rapidez dos profissionais que ali trabalham, assim como as novas tecnologias que já foram inseridas e são muito utilizadas para maior precisão e diminuição do tempo cirúrgico.

“Estou internado e passei por várias cirurgias na perna. Ainda faltam quatro no joelho. Me sinto confortável com o pessoal do Centro Cirúrgico, sempre foram muito cuidadosos e atenciosos comigo”, relatou Fábio Rebouças, paciente da ortopedia.

Os principais procedimentos realizados no Centro Cirúrgico do HURSO são Buco-Maxilo; Cirurgia Geral; Cirurgia Torácica; Cirurgia Vascular; Neurocirurgia; Ortopedia e Pediatria. Mas também são realizadas cirurgias mais complexas, como captação de órgãos.

“Nesse caso, paramos todas as cirurgias eletivas e ficamos por conta da captação e possíveis emergências”, contou Meiriellen Costa, supervisora do Centro Cirúrgico. “A gente sempre dá prioridade para o paciente da captação, porque é uma logística enorme para organizar. São vários profissionais atuando ao mesmo tempo e é tudo cronometrado, não podemos perder tempo”, finalizou.

Ajustar fonte