O ditado popular “quem canta seus males espanta” pode ser ainda mais especial se a música der novo sentido ao tratamento médico de pacientes. Foi pensando nisso que a Comissão de Humanização do Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste (HURSO), em Santa Helena, realizou uma manhã com foco na musicoterapia.

A ação ocorreu durante a manhã do dia 22 de fevereiro, uma sexta-feira. Os pacientes e colaboradores contaram com a presença do cantor Cleuber de Jesus, que se alegrou com a iniciativa. “Foi uma manhã maravilhosa. Poder ver de perto pessoas lutando pela vida tão emocionadas, presenciar tantos sorrisos e até lágrimas de felicidade foi muito especial. Agradeço a oportunidade de ter participado dessa ação e espero que possamos repetir em breve”, disse.

Sobre a musicoterapia

Esta é uma técnica terapêutica que se utiliza da música e de seus elementos – harmonia, som, ritmo e melodia – para tratar pacientes. A musicoterapia pode interferir positivamente na reabilitação física, social e mental. É uma junção entre arte e saúde para promover a comunicação, expressão e aprendizado.

Adelaine Lopes, que estava acompanhando sua mãe na clínica médica, abordou o poder da música. “Querendo ou não, quando a pessoa está hospitalizada ela acaba tendo pensamentos negativos. A música distrai e alegra”, resumiu.

Segundo Denner Rodrigues, presidente da Comissão de Humanização, o principal objetivo do projeto é garantir o bem-estar dos pacientes e acompanhantes. “É muito satisfatório ver a felicidade estampada no rosto de cada um”, disse. Ele anunciou ainda que, graças aos resultados positivos da experiência, o Hospital promoverá novas sessões de musicoterapia.

Recepção calorosa

Os pacientes amaram a iniciativa. “As músicas acalmam a alma da gente. Achei muito legal e importante que pensassem em nosso conforto dessa maneira, espero que tenha mais”, comentou Elaine Lopes que esta internada há algumas semanas.

A paciente revelou ainda que quando ouviu Cleuber cantando, sentiu uma paz sem igual. “Eu até pedi para ele voltar no meu quarto e cantei junto com ele um hino bem conhecido. Era tudo que precisava naquele dia”, comemorou.

Ajustar fonte

AVISO

Tendo em vista o encerramento do contrato, o Hospital Estadual de Pirenópolis não é mais gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar - IBGH.

As informações constantes neste site referem-se ao período em que a gestão da unidade de saúde estava sob responsabilidade do instituto e estão sendo mantidas em cumprimento às leis de transparência vigentes.