Suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Segundo a OMS, 9 em casa 10 mortes por suicídio podem ser evitadas.

No Brasil, o suicídio é considerado um problema de saúde pública. Com intuito de ajudar e conscientizar as pessoas para que falem sobre suicídio, o Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste Dr. Albanir Faleiros Machado (HURSO) vem cumprindo uma extensa agenda de treinamentos e panfletagem. O objetivo principal é atingir os jovens santa-helenenses.

De acordo com a presidente da Comissão de Humanização da Unidade, Adriele Bessa, o HURSO se prepara para realizar ações que aproximam a unidade Hospitalar da comunidade. “Setembro amarelo é uma mês que merece nossa atenção, por isso estamos preparando ações internas e externas a fim de aproximar o hospital da população. Decoramos nossa recepção e corredores, estamos preparando roda de palestras e visita nos leitos com nossa psicóloga hospitalar e iremos realizar panfletagem em toda a cidade”, afirmou Adriele.

Para Rosani Freitas, psicóloga do HURSO, esse é o momento de ouvir e promover ações de valorização da vida. “É importante realizar ações a fim de sensibilizar as pessoas para essa realidade e o cuidado com a saúde mental. Essas campanhas, ajudam a motivar os profissionais a terem um olhar mais humanizados para seus pacientes e identificar fatores de risco que podem influenciar o comportamento e pensamentos suicidas, assim como levar aos pacientes orientações, conscientização sobre o assunto e proporcionando acolhimento e suporte emocional”, completou.

Estima-se que 90% dos casos de suicídio poderiam ter sido evitados através da conversa. É essencial estar atento aos sinais de alerta e oferecer conforto e apoio à pessoa que está passando pela depressão. O HURSO, unidade do Governo de Goiás, apoia essa causa.

Ajustar fonte