A estratégia da equipe do Hospital de Urgências do Sudoeste Goiano (HURSO) para o Carnaval teve foco voltado para a segurança nas estradas da região. Situado na cidade de Santa Helena, município sem tradição de festas carnavalescas, o HURSO se preocupou com os habitantes que partem para outras cidades. A partir desse dado, na sexta-feira, dia 9, um grupo de 13 colaboradores da Unidade foram as ruas do centro para alertar sobre os riscos de uma direção imprudente, sobretudo a condução em alta velocidade e sob efeito de álcool.

O dia foi de muita conversa e entrega de cartilhas sobre dicas de segurança ao volante, além do material informativo sobre DST e a distribuição de preservativos. A ação atingiu mais de 500 pessoas, entre motoristas e pedestres.

Enquanto uma equipe atuava nas ruas, outra agiu dentro do Hospital. Pacientes, acompanhantes e colaboradores foram surpreendidos com um verdadeiro Carnaval nas instalações do HURSO. Ao som de marchinhas carnavalescas, o Super HURSO, mascote do hospital, comandou a folia, que envolveu mais de 300 pessoas. Na ocasião, também foram distribuídos materiais informativos e preservativos.

Para a terapeuta ocupacional Adriely Vaz Dias, a programação foi importante porque fez com que as pessoas tirassem um minuto para pensar nos riscos que correm em meio as festividades coletivas. “Este minuto de reflexão pode evitar que o folião cometa ações irresponsáveis e coloque vidas em risco”, comenta, dizendo que a receptividade do público foi “positiva e interessada”.

Acidentes no Carnaval

Nas estradas estaduais que cortam Goiás, a Polícia Rodoviária Estadual registrou 42 acidentes em rodovias estaduais durante o Carnaval. O número é 38% menor na comparação ao ano passado. Em 2017, foram registrados 68 acidentes em rodovias goianas.

O balanço feito pelo Comando de Policiamento Rodoviário (CPR) contabilizou 28 acidentes com vítima de ferimento. “Essa é a mesma quantidade do ano passado. Já o número de acidentes de trânsito sem vítima teve redução de 72%”, disse o comandante do Policiamento Rodoviário, coronel Márcio Vicente da Silva.

Conforme o balanço, 46 pessoas ficaram feridas e outras seis morreram. Dados que também apresentaram redução se comparados com o Carnaval de 2017, que registrou 58 feridos e nove óbitos. Houve ainda queda de 50% no número de autuações por embriaguez no volante. Em 2017 foram registradas 34 autuações, contra apenas 17 neste ano.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) declarou que houve menos acidentes, mortes e multas em todo o Brasil. Os acidentes com vítimas graves ou óbitos, caíram 16%.

Ajustar fonte

AVISO

Tendo em vista o encerramento do contrato, o Hospital Estadual de Pirenópolis não é mais gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar - IBGH.

As informações constantes neste site referem-se ao período em que a gestão da unidade de saúde estava sob responsabilidade do instituto e estão sendo mantidas em cumprimento às leis de transparência vigentes.