No ano de 2013, cerca de 14.266 mulheres foram vítimas de câncer, é o que informa o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).  O tumor se inicia a partir de uma série de multiplicações de células anormais no tecido mamário, formando um câncer maligno.

Como fazer o autoexame da mama

Para fazer o autoexame da mama é necessário seguir três passos principais: observação em frente ao espelho, palpar a mama de pé e repetir a palpação deitada.

O autoexame da mama deve ser feito uma vez por mês, todos os meses, 3 a 5 dias após o aparecimento da menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que não menstruam.

Todas as mulheres após os 20 anos, com caso de câncer na família, ou com mais de 40 anos, sem caso de câncer na família, devem realizar o autoexame. Em qualquer suspeita, procure um mastologista, que é o médico especialista em mama, ou um ginecologista.

O exame de mamografia

O mamógrafo é um aparelho que visa detectar se há presença de algum tipo de nódulo, microcalcificações, assimetrias mamárias e outras ocorrências que dificilmente são palpáveis.  O aparelho é formado por duas chapas a qual pressionam as mamas para se obter uma imagem e verificar se há a presença de algum tumor no local.

Somente no Brasil, ano de 2014, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), mais de 2,5 milhões de mamografias foram executadas.

Sintomas e cuidados

Caso surja um ponto endurecido debaixo das axilas ou nos peitos, procure um mastologista, que é o médico especializado em mama, ou um ginecologista. Os sintomas basicamente são compostos por dor, secreção pelos mamilos, enjoos, inchaço do braço, edema (inchaço da pele), vermelhidão na pele e entre outras ocorrências.

O tratamento é feito com cirurgias, radioterapias, quimioterapias e medicamentos.  Quanto mais cedo você realizar os exames, mais chances de cura pode ter. É indicado que comece a realizar a mamografia a partir dos 40 anos de idade, e ser realizado anualmente.

Os perigos

As possíveis causas que podem influenciar no aparecimento do câncer de mama são:

  • Menopausa tardia
  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Histórico de câncer familiar
  • Sedentarismo
  • Alcoolismo

 

Ajustar fonte

AVISO

Tendo em vista o encerramento do contrato, o Hospital Estadual de Pirenópolis não é mais gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar - IBGH.

As informações constantes neste site referem-se ao período em que a gestão da unidade de saúde estava sob responsabilidade do instituto e estão sendo mantidas em cumprimento às leis de transparência vigentes.